terça-feira, 29 de junho de 2010


Tu nunca me amaste ! Fui uma boneca nas tuas mãos ! Usaste e abusaste , até ao dia em que me deixaste cair e eu parti . Nesse dia abandonaste-me no teu sotão escuro ! 


(Disseste que me amaste , mas isso foi só mais uma mentira)

quarta-feira, 16 de junho de 2010


Dizem que não há amor como o primeiro, mas eu vejo serem todos iguais. Quando se fala em amor não tem de ser apenas de uma forma porque há varias maneiras de amar.

No meu primeiro amor havia um irmão. Não sei bem qual a melhor paravra para o descrever. Um irmão, um melhor amigo, um idolo, um exemplo a seguir. Tantas outras palavras o poderiam descrever. Alguém simpatico, atencioso, diferente mas igual a si mesmo. Por muito que escreva nada se compara a ele.

Do segundo amor já nem vale a pena falar. Amor imaginário, irreal. Nem o dito amado sei se existe. Ele era como um conselheiro. Um outro irmão que nunca ocupou o lugar do primeiro. Talvez houvesse um pouco mais do que isso. Eu não sei. É como se essa pessoa não existisse, não fosse real, mas estava lá.

O terceiro amor é como uma rosa. Possuidor de um beleza excepcional onde esconde os seus perigos. A isso se assemelhou tudo o que sentimos. Era tudo perfeito até as petalas da rosa cairem eu eu cravar as mãos nos espinhos. Essa foi a causa da minha morte.

A unica coisa que existe em comum entre estes três amores é que todos me deixaram. Dizem que á terceira é de vez e parece que é verdade, porque eu não aguento mais. Só me resta pedir desculpa a todos por não ter conseguido ser mais forte.

quarta-feira, 9 de junho de 2010


Eu sei que tu não queres mais saber de mim, e que para ti eu já não significo nada. Sei que os bons velhos tempos foram e não voltam, mas sei também que não tive coragem para dizer tudo o que sentia. Podia ter dito tudo mas não fui capaz. Mais uma vez faltou-me a coragem. Sei que já não és sentimentalista e que as minhas palavras só te fazem rir. Sei que queres te deixe em paz e á taty também. Mas tu sabes que és importante para mim. Desde que te conheci que o meu sonho era ser como tu. Eras aquele Idolo para mim. Aquele irmão mais velho, um exemplo a seguir. Era assim que eu te via. Eu queria ser a tua sombra. Ser como tu. Mas também sabia que tu eras único. Mais uma vez, aquele irmão mais velho que eu nunca tive. Aquele a quem contava os meus problemas e em quem podia confiar. Sabia que tu estarias lá para me ouvir e ajudar, sem me julgares como todos faziam. Não há palavras que descrevam o meu arrependimento. Sei que fiz muitas asneiras mas tu sabes que eu gosto muito de ti. Compreendo que tu não queiras olhar para a minha cara. E quando falaste em quem eu era, eu entendi que tu tinhas razão. Eu não sei bem quem sou ou o que sou. Talvez por eu não ser nada. Tudo o que eu queria era ser como tu. Seguir os teus passos como uma irmã mais nova.

Eu sei que não sou nada para ti. Mas posso-te dizer que todos osmomentos que passamos juntos nunca serão esquecidos. O dia em que me chamaste de “Minha Pequena”, as tardes que passavamos juntos, e os dias em que saiamos juntos do ginasio.

No inico, ir falar contigo foi  algo muito dificil. Eu tive medo de sofrer pela rejeição. Mas as coisas foram diferentes. Eu acreditava que depois disso tudo seria perfeito. Mas fiz asneira e tudo ficou tão escuro :S

Já pedi mil perdões, mas parece que ainda não fiz o suficiente. Não sei se alguma vez o conseguirei fazer. Mas posso garantir-te que nunca irei desistir.

domingo, 6 de junho de 2010


O que tu me fazes...

Tu fazes-me sorrir com as tuas piadas, tu fazes-me chorar quando tens razão. Tu fazes-me corar com todas as coisas bonitas que me dizes e ficar louca quando dizes que não és perfeito. Fazes-me querer viver quando me apoias e desejar morrer quando não estás aqui. Tu provocas todas as sensações possíveis e imaginárias em mim. Tu fazes o meu corpo vibrar e o meu coração bater. Agora que partiste deixaste tristeza, dor e saudade. Tristeza por te ter perdido sem saber porquê. Dor que se reflecte num vazio incalculável. Saudade de todas as conversas e dos momentos que nunca passamos.  Eu amo-te e nunca na vida te trocaria por ninguém. Tu tens um lugar especial no meu coração e nunca ninguém o ocupará. É só teu e estará á espera do dia em qe tu voltes para o ocupar.

Amo-te Sweet Heart Murder.

sábado, 5 de junho de 2010

Eu confesso!


Amo-te Diogo

Tu sabes o quanto és importante para mim e sabes o quanto para mim é difícil esquecer-te. Tudo o que eu mais queria era ficar sempre contigo. E quando digo sempre é sempre mesmo. Tu sabes que eu não te quero perder (se é que já não perdi). Eu amo-te mais que tudo. Não vou dizer que nunca senti isto por ninguém porque tu mesmo deves saber isso. Eu confesso que todas as noites sonhava contigo. Fazia planos para o futuro enquanto dormia. Eu na verdade queria poder tocar-te, beijar-te… Tudo o que seria normal. Eu desejava que estivesses ao meu lado a cada noite e que acordasses agarrado a mim a cada manhã. Sei que tudo não passou de pensamentos, e que para ti era impensável torna-los realidade. Mas para mim não. Sei que a tua resposta a este texto seria “ok” ou “tá” mas eu não podia deixar de te dizer o quanto és especial para mim e o quanto queria estar bem contigo. Sabes que tudo o que quero é ter-te comigo. E talvez se isso acontecesse os meus medos fossem embora. É como se tu fosses a luz que leva embora a escuridão. Tu vieste e deste cor ao meu mundo. Agora que estou sozinha não há luz, nem escuridão. Estou vazia. Tu és parte de mim. Amo-te DiDi.

E se eu pensava que não me iria rebaixar por ninguém, aqui está a prova do contrário).

sexta-feira, 4 de junho de 2010


A perfeita mentira nasceu quando disseste que me amavas.

Se mentir é pecado, então tu és o meu pecador mais amado.


Eu olho para ti e não vejo nada. Diz-me, quem és? O que sentes? Quando deixas cair a mascara que faz de ti esse ser frio e solitario? Esse bicho sem sentimentos que queres mostrar não és tu. Durante muito tempo tentei lutar contra mim mesma. Queria acreditar que não era isto que eu estava a sentir. Que este amor não era tão forte. Por vezes dizia para mim mesma que tu não eras real. E será que és? Invades os meus pensamentos durante o dia e os meus sonhos durante a noite. Fazes-me gritar o teu nome enquanto dormo e desejar ter-te lá para me protegeres. Eu não sei quem és. Tudo não passou de uma mentira que tu tentas manter para alimentar qualquer tipo de sentimento que eu desconheço. Mas afinal quem és tu? Porque invades os meus sonhos com mensagens que eu não consigo entender? Porque me fazes chorar de triste quando não estás e de alegria quando me das todo esse desprezo? Talvez a alegria com que choro quando tu me afastas de ti seja por saber que estás aqui e que a barreira que tu tentas manter entre nós acabará por cair. Talvez eu caia primeiro, mas mesmo de joelhos eu vou lutar. Lutarei sempre por aquilo em que acredito. E eu posso dizer que apesar de todas estas mentiras, eu acredito em ti.


Amigo é perdão,

Coração forte em meu peito,

Aquele que dá a mão,

Aquele ser perfeito.



Amigo é vontade,

Vontade de lutar.

Conhecer os cantos do Mundo

Ir ao céu e voltar.


Amigo é aquele que chora

Para te fazer sorrir.

Aquele que não foi embora,

Nem te deixou partir.


Amigo não é aquele

Que te impede de cair.

Amigo é o ser

Que te ajuda a subir.

Eu queria ter um amigo,

Que me amasse de verdade,

Que estivesse comigo

Para toda a eternidade.

quinta-feira, 3 de junho de 2010


Eu não sou para ti, nem tu para mim. Nós já nos fizemos sofre o suficiente um ao outro. Eu já vivi mil anos mas nem assim te deixei, mesmo sabendo que és um criminoso. Não é a hora, nem o local para darmos asas aos nossos pensamentos mais perversos. Para ti sou mais uma cara linda que se deixou levar pelas tuas palavras. Deitada na tua cama, adormeço inocente. Tu beijas os meus lábios enquanto dormo e percorres o meu corpo com as tuas mãos num movimento continuou e delicado. 

Todas estas mentiras fizeram com que eu sorrisse e fizeram-me desejar-te cada vez mais. 

Agora consciente da tua presença, eu viajo pelo teu corpo com os meus lábios. Lábios estes que agora procuram saciar a sua sede por este prazer que nos leva ao paraíso. Lábios estes que procuram os teus, nunca desistindo de te encontrar, mesmo perdendo-te vezes sem conta.

Eu quero-te. Quero perder-me no teu corpo para que me possas encontrar e ficar contigo para sempre.

Enquanto tu me acaricias a face e os ombros eu sussurro-te ao ouvido: "Dá vida ao meu corpo, pois a minha alma já está morta".

sexta-feira, 28 de maio de 2010


Num mundo aparte é onde eu vivo. Minha casa tão fria e sombria. Meu lar deserto e silencioso. Os meus sonhos esquecidos.

Vejo tudo longe, para lá do nevoeiro. Nada é claro e eu fico confusa. Vejo-te ao longe e um outro alguém ao meu lado. Tu gritas as palavras que eu preciso ouvir, mas alguém aqui passa as mãos pelo meu corpo e sussurra-me ao ouvido que tudo ficará bem. Eu quero correr para ti mas tenho medo de magoar quem está ao meu lado. Eu quero fica, mas receio que tu caias sem mim.

Agora só quero estar no meu quarto e chorar sozinha, esta noite, porque eu não sei o que fazer. Sei que estás longe mas estás aqui. Sei que tenho alguém ao meu lado, mas não sei até que ponto não vou cair. E sei também que se olhar para trás, verei alguém chorar a minha perda.

Eu não posso dizer que não te quero comigo, pois estaria a mentir. Mas também não posso dizer que te que te quero aqui, porque tenho medo do que isso implica. Sei que não te terei sempre aqui, porque o dia dá lugar á noite, da mesma forma que de uma semente nasce uma flor. Sei que da mesma maneira que uma criança se transforma num adulto, a tua ausência se transformará num vazio infinito em mim.

Todos podem ver o pôr do Sol, tocar na areia molhada da praia, sentir o cheiro do mar. Então porquê que eu não posso? Presa nesta torre que será o meu túmulo eu choro a chuva e grito os trovões. Se todos podem ser felizes, porquê que eu não posso?

Tu és um criminoso, pois mataste todo o meu amor. Mas quem és tu? Não chegou  a hora, nem este é o lugar para obter respostas. Talvez o dia do ajuste de contas ainda não tenha chegado. Tu sabes que eu sou apenas uma pequena rapariga. Sou só mais uma carinha bonita que tu desejas matar de novo.

sexta-feira, 14 de maio de 2010


Eu: -Mãe, para que serve o Ben-U-Ron?

Mãe: -Serve para as dores!

Eu: -Então posso tomar um ou dois?

Mãe: -Para quê Bárbara?

Eu: -É que doi-me o coração!

quarta-feira, 12 de maio de 2010


Eu confesso que me perdi. Confesso que me perdi neste sentimento. Perdi-me em mim ou em ti, nem sei. Confesso que desejaria encontrar-me e confesso também  que só desejaria encontrar-me se estivesse perdida no teu peito despido envolvido apenas pelos lençóis negros da minha cama. Só tu dás cor ao meu mundo. Só tu dás vida ao meu corpo. Só tu dás brilho á minha cama tão negra nas noites mais frias de Inverno. Eu quero ser tua. Eu quero sentir o calor dos nossos corpos como um só. Eu quero sentir o sabor doce dos teus lábios. Eu quero. Eu quero-te em mim.

terça-feira, 11 de maio de 2010


Eu só preciso de um abraço teu. Daquele beijo que já mais irei esquecer. Só preciso daquele carinho que tu tanto prometes dar. Eu não quero nada mais. Eu só te quero a ti. Dizes que não estou sozinha e que estás aqui, mas à minha volta não está ninguem. Talvez tu estejas num lugar que eu não consigo alcansar. Tu dizes que nunca me deixarás cair, mas eu não sinto os braços que tu dizes que estão a proteger-me. Eu só queria uma coisa e é por ela que eu imploro. Eu só imploro por um beijo teu.

A única coisa que percebi até hoje é que a felicidade não se encontra em mim. Eu já não sei se isto é o destino. Já não sei o que pensar. Dizes que queres ficar bem comigo, mas só me das desprezo Eu juro que nunca fiz mal a ninguém para merecer tal castigo. Eu não acredito em Deus, mas todos me dizem que é ele que faz justiça. Se Deus é justo, então quem fez o meu julgamento?


Eu tentei fazer com que as coisas resultassem. Acredita que tentei. Mas sabes o que é que eu vejo? Vejo que enquanto eu choro, o mundo sorri. A ti, eu sou indiferente. Se me tens ou não, não importa, porque amanha faz parte do passado. Porque tens amigos que estão do teu lado. Eu não. Eu estou sozinha. E é sozinha que tento aguentar enquanto tudo vem contra mim. E sabes porque? Porque durante toda a minha vida, me preocupei com os outros, e sempre me deixei para ultimo. Agora cai e estou sozinha.
Disseste que estava errada. Que não estava sozinha. E eu porgunto: "Ai não? Então diz-me quem é que eu tenho? Porque eu olho para o lado e não vejo NINGUEM."


Sabes o que significas para mim. Não há nada no mundo que nos possa separar. Não sei bem o que dizer porque as palavras ficam presas na minha garganta. Tu sabes que eu faria qualquer coisa. Tu consegues fazer-me sorrir quando só quero chorar. Consegues fazer com que tenha prazer em viver quando eu só desejava morrer. Eu por ti iria até ao fim do mundo. Eu venderia a alma ao diabo e o corpo aos homens para mal dos seus pecados. Não há limites, porque o amor que eu sinto por ti é forte demais. Tu és aquela minha irmãzinha que eu irei ajudar e apoiar aconteça o que acontecer. Eu não sei que mais posso dizer. Não há palavras para te descrever. A única palavra que se aproxima é perfeição. Mas ainda assim dizer que és perfeita não seria o suficiente. As nossas conversas significam tudo. Estás lá para me fazer sorrir e para chorar comigo. Nunca me deixas sozinha. Tu não estás ao meu lado, porque tu fazes parte de mim. As duas juntas fazemos um todo. Somos um 100% juntas. O meu mundo não estava completo sem ti. Tu fazias-me falta mesmo sem eu saber. Tu fazias parte de mim mesmo sem nos conhecermos. Eu sou tu e tu és eu. Nada nem ninguém nos irá separar porque nós somos um só.

Amo-te Zzim da minha vida (L)

segunda-feira, 10 de maio de 2010


Disseste que ias estar sempre ao meu lado e que estiveste sempre que precisei. Disseste que estava a ser ingrata e que não dava valor. Pois bem, agora vejo que me ajudaste tanto como os outros. Fizeste com que não morresse naquela dia, mas agora fazes com que deseje a morte. Tal como as outras pessoas, abandonaste-me. Era isso que querias guardar para maio? Olha, obrigada então, pela prenda de anos. Pela 1º vez à muito tempo, fizeste com que desejasse morrer. PARABENS Rodrigo, PARABENS. Eu é que vou fazer anos mas tu é que tas de parabens. E obrigada pela prenda. Mostra que és um amigo como os outros e que não gostas de mim como eu pensava. Agora provas que não merecias que eu te amasse como te amo. E mais uma vez parabens, porque conseguiste fazer com que voltasse a não acreditar no amor.

quinta-feira, 6 de maio de 2010


Hoje acordei decidida a esquecer-te. Para dizer a verdade acho que não cheguei a dormir. Levantei-me da cama às 6h da manhã e fui tomar banho pensando que a água lavaria as marcas que deixaste no meu corpo. Não resultou. As cicatrizes são profundas demais. Depois vesti-me e tentei despir-me deste sentimento desigual. Mas ele está presente demais. No entanto não me ia deixar ir abaixo e estava decidida a esquecer-te. Saí de casa a correr sem comer nada, porque tu para além de ocupares todo o meu  coração e a minha cabeça, ocupas também todo o meu corpo, não deixando espaço para o sono ou para a fome. Ao chegar à escola tento concentrar-me em aprender e em compreender cada palavra que o professor diz. É difícil quando só tu ocupas a minha mente.

Confesso que não aprendi nada. Volto a casa à hora de almoço e ligo o msn na esperança apenas de te ver online, porque sei que não serei capaz de te falar outra vez. A tristeza abate-se sobre mim cada vez mais forte. Mas eu não vou desistir.  Não vale a pena comer. Olho para o meu horário e reparo que se voltar à escola vou ter aula de Educação Física. Talvez seja bom e eu consiga tirar-te da cabeça. Estamos a andar de patins mas eu não consigo ver por onde vou porque as lágrimas salgadas que derramo por ti estão a cegar-me. O vento que sinto a bater-me na cara e que faz as minhas lágrimas encontrarem-se com o meu cabelo preto, dá-me uma certa sensação  de liberdade.  Sinto que sou livre como uma águia  e que nem o céu é o meu limite. No entanto não é o suficiente porque sinto que ainda estou presa a ti. No balneário todas me para sorrir e que estão ao meu lado. Mas tu não estás e eu só consigo chorar.

Ao chegar a casa e ver que tas no msn  o meu coração bate depressa demais. Ponho as mãos no peito para tentar acalma-lo e digo para mim mesma baixinho que tudo ficará bem. Ele não me obedece. Eu não te falei, porque tenho medo. Não tenho medo de ti. Tenho medo de mim por ti. Tu és o meu passado com outros olhos. És a realidade que eu tanto temia enfrentar. És o anjo que eu temia que descesse do céu, para se encontrar comigo no inferno. Fiquei apenas a contemplar a tua fotografia e a escrever este texto. 

Eu não posso desistir. Não posso.  Ao jantar sentei-me à mesa sozinha e com um prato vazio à frente. Não tinha fome. Limitei-me a beber aquelas pequeninas gotas salgadas que nasciam nos meus olhos e percorriam a minha cara  acabando por morrer nos meus lábios. Eu queria que estivesses aqui para secar as minhas lágrimas e para me dizeres que nunca me deixarás cair. Para me dizeres que viveremos os dois no teu pequeno armário, em segredo, e que as nossas almas nunca irão envelhecer. No entanto tu não estás. E eu continuo aqui, inconsciente esperando por ti.

Já se fazia tarde e eu deitei-me, mesmo sabendo que não iria adormecer. Os meus olhos estão cansados e ardem, o meu coração bate forte demais porque a minha mente está ocupada com imagens tuas. Por muito que tente eu não te consigo esquecer. Agora imagino como tudo seria mais fácil se estivesses aqui.

Incrivelmente o sono começa a aparecer. Eu rendo-me a ele sem qualquer resistência. Acabo por adormecer e aí tu invades os meus sonhos sem pedir licença. Eu não me importo porque na verdade nunca houveram portas nem fechaduras para ti. Não sei se voltei a acordar, mas senti que apartir daí, ficaste ao meu lado, para toda a eternidade.

Este texto foi assassinado por várias lágrimas. Uma ainda me corre pela cara. Talvez esteja à espera de secar ou de ser beijada por ti.

terça-feira, 4 de maio de 2010


Pensei o que passado tinha sido esquecido, e pensei que iria voltar a sorrir. Mas tu apareceste na minha vida e parece que eu voltei a cair, e desta vez sozinha.

Eu confesso que tenho medo. Tenho medo por ti. Eu tenho medo de amar. Tenho medo de perder. Tenho medo de sofrer. Eu tenho medo de te olhar. De te desejar e de te beijar. Eu tenho medo de te querer e de te perder. Tenho medo. Eu tenho medo de ser feliz.

domingo, 2 de maio de 2010


Agora estás sozinho e tudo está negro à tua volta?
Bem vindo à minha vida!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

quarta-feira, 21 de abril de 2010


Sinto-me confusa. Eu não sei o que quero. Não sei o que é o melhor para mim.

Sinto-me presa nas minhas próprias correntes. Não sei qual é a minha posição. Mas porquê que eu tenho que escolher? A única certeza que tenho é que a pessoa que mais quero não posso ter. Olha-la a cada dia e saber que nunca mais a irei abraçar. Saber que nunca voltará a chamar-me de "Minha Pequena". Saber que todos os momentos foram em vão. Olhar para o meu braço e não ver mas do que cicatrizes. Ver o teu nome correr-me nas veias como um veneno que me mata e não conseguir fazer nada para não morrer.

Eu quero viver. Eu quero-te de volta. Eu quero-te em mim, irmão.

domingo, 18 de abril de 2010


Uma vez alguém me disse "Se a dor for o alimento da alma, então a minha está a precisar de uma dietinha".

Estou farta de sofrer por quem não vale a pena. As lágrimas que ves na minha cara são verdadeiras. Sim, elas estão aqui. Mas já não choro pelo teu amor. Choro de alegria porque sei que lutei até não conseguir mais, e porque sei que se não te voltei a ter não foi por ter desistido. Porque lá no fundo nunca deixei de te amar.

sábado, 17 de abril de 2010


"- Obrigado por me teres posto feliz , obrigado por teres dado cor a minha vida, eu AmO.Tee mais que Tudo ,  mas se não o sentes ,  não posso fazer nada , Não te posso obrigar a gostar de Mim ..

És Perfeita e Sempre serás AmO.Teee Mais Que Tudo :'("

As coisas têm acontecido de uma forma tão estranha. Tu já partiste há tanto tempo. Depois de ti muitas outras pessoas entraram e saíram da minha vida, mas nenhuma como tu. Nenhuma consegue ocupar o vazio que deixaste. Com nenhuma pessei momentos como passei contigo. Sei que nada voltará a ser o que era. Nós somos muito diferentes e tu mesmo o disseste. Muito diferentes mas muito iguais. Talvez isso tenha feito com que tudo acabasse. Gostava de voltar a estar contigo, aqui. Passo pelo nosso sítio e tudo está vazio. Sem ti tudo isto se torna negro e sem brilho. Dantes era tudo tão quente. Agora sinto falta do calor do teu corpo que me aquecia nas noites mais frias de Inverno. Agora sinto. Agora estou vazia. Agora mais do que nunca eu preciso de ti ao meu lado. Agora eu preciso de ti.

Não seria preciso que me obrigasses a amar-te porque isso é tudo o que eu faço. Eu não queria ter-te deixado partir. Queria que fosses meu até para toda a eternidade. Não te amar é tudo o que eu não sei fazer. Talvez tenha entendido isso tarde de mais. Nunca te quis perder e tu sabes isso. Sei que não passaram de momentos para ti. Mas 08.08.09 é a data do início de uma vida para mim. Não quero que penses que não te amo. Eu começo a perder forças para lutar. Não consigo respirar. Eu preciso de ter-te aqui.

sexta-feira, 9 de abril de 2010


Tu dantes eras o meu Sol, aquecias e iluminavas o meu mundo tão frio e sombrio.
Depois tornaste-te um Cubo Mágico, um enigma tão grande mas com uma pequena solução.
Agora és o meu mar, feito por pequenas gotas salgadas caídas dos meus olhos, mas que não teriam sido choradas se não tivesses provocado tanta dor no meu pequeno coração.

quinta-feira, 8 de abril de 2010


Eu já não sei o que vale mais a pena. Será viver de uma mentira, ou simplesmente não viver?

quarta-feira, 7 de abril de 2010


Amar-te parece ser o meu pecado mortal. Querer-te parece ser o meu desejo fatal. Ter-te parece ser o meu sonho irreal. Perder-te parece ser a minha vida real.

És uma desilusão. Estás de parabéns. Conseguiste iludir-me.

Quando me vais contar a verdade sobre ti? Quando vais confiar em mim? De facto não há luz sem escuridão, e se tu conseguias brilhar , parabéns. Agora consegues ser uma mancha negra na minha vida. Fizeste-me acreditar que eras diferente. Mas és igual a toda a gente. Disseste que não tinhas segredos mas tu és uma mentira. Mesmo que não mintas, tu não dizes tudo.

Não és quem eu pensava. Acho que estou um pouco arrependida de te ter conhecido. Foi bom durante uns tempos. Fizeste a diferença. Fizeste-me voltar a viver. Eu entreguei-me à nossa amizade de corpo e alma. Eu confiei-te coisas que nunca teria confiado a ninguém.

Mas eu não sei quem tu és. Tu pareces não ser quem eu penso. Tu pareces não ser parte de mim. Tu pareces não existir.

Talvez esteja a ser injusta mas as tuas palavras disseram demais. As tuas palavras dizem aquilo que os teus actos não podem mostrar. Eu preciso de provas. Preciso que me mostres aquilo que não podes dizer. Preciso que estejas aqui. Não há nada que eu possa dizer. Tu não és quem eu pensava. Mesmo que consiga conquistar algumas respostas, a questão principal nunca poderá ter uma resposta que eu saiba ser verdadeira. No entanto eu arrisco-me a perguntar: "Tu amas-me?"

domingo, 4 de abril de 2010


Eu amo o Melhor Amigo, pois ele é vida em mim.

Estás sempre lá até durante a chuva de Novembro. Nunca me deixaste e fizeste-me brilhar, dando-me parte do teu brilho. Pois bem. Agradeço todos os dias a Deus por me ter dado um amigo como tu. Um amigo que está comigo em todos os momentos e que me apoia aconteça o que acontecer. Um amigo que está ao meu lado e que nunca me deixa cair. Um amigo que me faz sorrir e que chora comigo se eu precisar. Um amigo que eu sei que nunca me vai deixar.

Eu nunca pedi às pessoas que não me deixassem cair, porque sei que isso ninguém pode evitar. O que tem que acontecer acontece e isso nem o maior dos amores pode impedir. Eu já evitei que muitos caíssem e mesmo quando isso acontecia, eu tentava levanta-los e fazer com que a dor deles não fosse tão forte. Tu fizeste o mesmo comigo. Não impediste que eu caísse, pois eu caí, mas fizeste com que aprendesse com os meus erros e com que me levantasse e erguesse a cabeça de forma a continuar a lutar. Fizeste com que a minha dor fosse menor. Não há palavras que expliquem o que eu sinto por ti. És tudo o que eu preciso. És tudo o que eu tenho e tudo o que eu quero. Sei que aconteça o que acontecer, tu não me irás deixar como outros fizeram. E talvez sejas isso que te torna tão especial. Talvez sim, talvez não. Não sei bem. Sei que és diferente de todos os outros e que fizeste com que olhasse para o mundo com outros olhos. Isso é de louvar. Não me fizeste ver o mundo com os teus olhos, mas sim com os meus de várias maneiras. Tu não só me ensinaste a ver o meu lugar no mundo como também o lugar do mundo em mim.

Sabes que eu te amo hoje, amanhã e para sempre. Porque o amor édos sentimentos mais puros que existe, e sem dúvida é amor o que sinto por ti.


Amo-te melhor amigo do MUNDO.

quinta-feira, 1 de abril de 2010


Óptimos momentos foram passados ao teu lado. Estiveste sempre lá quando eu precisei. Fizeste-me sorrir quando eu só queria chorar. Sabes que eu estarei lá sempre que tu precisares tal como já estive antes. Sabes que estarei ao teu lado quando precisares de chorar. Eu chorarei contigo quando precisares e irei rir contigo também em todos os momentos. Sabes que nunca te vou deixar e que estarei aqui sempre que precisares. Vou estar contigo para o bem e para o mal. Sempre que tu precisares eu estarei ao teu lado. Tens o meu ombro para chorar sempre que quiseres. Eu irrei sorrir ao teu lado e levantar-te quando tu caires. Eu estarei sempre lá por ti.

Eu amo-te minha Telma.


"O frio e a chuva fazem-se sentir. A janela do meu quarto está embaciada, pois nada me faz sorrir. Só queria o teu abraço, mas nem isso eu posso ter. E o teu sorriso, só as fotos me ajudam a perceber. Eu quero te mostrar tudo, mas só te mostro um esboço. Eu quero dar um mundo mas sem a tua vontade eu não posso. Quanto mais eu te desejo, mais sei que eu consigo. Acredita na que eu sinto, partilha o teu mundo comigo. O futuro somos nós, o destino já esta escrito. Não te escondo quem eu sou, pois eu não tenho segredos. Por isso dá-me a tua mão, não tenhas medo. Eu quero-te mostrar o que está ao nosso redor, eu quero-te levar a um mundo sem dor, eu quero-te mostrar que nada nos pode separar, eu quero-te ensinar o quanto é lindo amar..."

Dizes que somos donos do nosso silêncio e escravos das nossas palavras. E tens razão. Estou a perder-te e não há nada que possa fazer para tu ficares. Sem ti sinto-me perdida.

Em tempos precisei de espaço e de ar para respirar. Precisei de arrumar a minha vida e fazer algo bom de uma vez por todas. Entendi que não posso viver sozinha. E tu estiveste sempre ao meu lado. Eu não precisava de mudar, simplesmente precisava de entender isso.

Agora eu entendi isso. Pensei que tinha entendido isso a tempo, mas agora vejo que talvez seja tarde. Eu amaria poder dizer-te o que o meu coração quer, mas eu não tenho mais palavras. Eu amaria poder dizer-te que não tenho mais medo, mas essas palavras soam falsas. Tudo o que eu queria era começar do zero. Peço desculpa se eu só erro. E estou a começar por ti. Estou a começar por dizer que Te amo.

Eu sem ti já não sou ninguém.


Dia de chuva intensa, em que nada faz sentido. Eu estava em casa sozinha e com vontade de desaparecer. Tudo estava em silêncio. Ouviam-se simplesmente as gotas da chuva lá fora. O dia estava quase tão escuro como a noite, o que me agradava, pois condizia com o meu estado de espírito.

Eu não estava a fazer nada de especial. Limitava-me a ouvir a chuva em silêncio e a olhar para o tecto do meu quarto. Nada existia para além de mim. Apenas eu e aquele silêncio assustador.

De repente o meu telemóvel começou a tocar. Não queria falar com ninguém. No meu mundo existia apenas eu. Não atendi a chamada e nem sequer me dei ao trabalho de ver quem era.

Cinco minutos depois recebi uma mensagem de um número desconhecido. Só dizia "desce". Apressei-me a vestir o casaco e desci as escadas do prédio a correr.

À porta estava um rapaz alto, de cabelo curto e vestido de preto. O vidro da porta estava molhado, o que dificultou a minha visibilidade.

Quando saí do prédio consigo ver quem era. E ao ver, os meus lábios rasgaram-se num grande sorriso. Sem pensar duas vezes corri para os braços dele. Estivemos a falar e o sorriso dele fez com que o meu nunca mais desaparecesse. Desde aí aprendi a sorrir e nunca mais parei.


Eu tentei não ouvir o que me disseste com medo de entender que eu estava errada. Por causa disso perdi tudo o que tinha e não consegui conquistar o que me restava.

Durante meses baixei a cara com medo de ler nos teus olhos aquilo que tinha medo de ouvir da tua boca. Devia ter calado a minha boca e ter-te deixado falar. Eu não sabia ouvir e sei que isso causou muito sofrimento para muita gente. Inclusivamente para ti.

Não há palavras que desculpem o que eu fiz. Não há palavras que expliquem o que senti. Não há palavras que recuperem o que eu perdi. Sei que estás agora a ler este textos e que sabes que é para ti. Sei que sabes o que sinto e que choras ao lê-lo, como eu chorei ao escrevê-lo. Sei que sentes o que eu sinto de uma forma especial. Tu és a minha irmã e ninguém isso pode mudar. Todo o amor que sentes, todo o amor que sinto, todo o amor que sentimos está guardado em momentos, embora agora cobertos por um manto de nevoeiro muito difícil de ultrapassar.

Apesar de tudo, eu não vou desistir. Lutar por ti até ao fim. Porque aconteça o que acontecer, eu sei que tudo o que nos unia como irmãs, não pode ter desaparecido. Sei que tudo o que eu sinto, é sentido por ti também. E mesmo que um dia volte a chover, tu sabes que eu estarei lá, estejas tu onde estiveres, para não deixar que as gotas de chuva te molhem e te façam cair.

terça-feira, 30 de março de 2010


Faço de tudo para não pensar e tento acreditar que a nossa história é passado. Mas às vezes dou por mim a relembrar os momentos que passamos juntos e custa ver que já não estás aqui.

Ao fim de tanto tempo já devia ter aprendido. Disseram-me uma vgez que "Nós não deixamos de querer a pessoa que realmente amamos, simplesmente aprendemos a viver sem ela", no entanto eu não consigo viver sem ti.

Relembro todos os dias os momentos que passamos juntos e penso em cada palavra que dissemos um ao outro e isso faz-me querer voltar. Às vezes gostava que o tempo voltasse atrás. Eu teria mudado por ti. Eu teria porto todo o meu orgulho para trás das costas. Teria posto de parte todas as coisas más. Só não poderia ter-te amado mais, pois eu sempre te amei com todo o amor do Mundo.

Às vezes parece que não estou ao teu lado, mas eu sou incapaz de te deixar. A vida corre e não volta atrás. No fim de cada dia, um vazio infinito consome-me por completo. Sabes que foste especial. Marcaste-me de uma forma diferente. Fizeste-me querer-te mais e mais. Invadiste a minha alma e agora não sais do meu coração.

Mas a realidade é dura. Tu partiste para longe. Para longe demais. Eu não consigo alcansar-te. Estás tão longe quanto as estrelas. Mas mesmo longe eu ainda te vejo brilhar. E é nas noites mais escuras que eu fico a contemplar o teu brilho, porque é na  noite mais escura que se destaca a estrela mais brilhante. Pois é também na noite mais escura que se vê o brilho que as minhas lágrimas dão aos meus olhos quando eu choro ao pensar em ti.


É difícil para mim, às vezes dizer tudo aquilo que estou a sentir. Mesmo quando estamos apenas eu e tu, o meu sangue congela ao falar do passado. Não consigo destrancar todas as portas do meu coração. Mas se tu soubesses como é fácil entender-me eu não precisaria de te explicar nada pois tu verias toda a minha história através dos meus olhos e saberias o que estou a sentir através dos meus lábios. 

O passado ainda me atormenta. Está mais prensento do que achei se possível. Ele comanda toda a minha vida. Ele impede-me de ser quem sou. Ele faz com que eu tenha medo de me olhar ao espelho. Eu tornei-me um "monstro". No passado só existias tu e tudo era perfeito. Perfeito demais.

É incrível como tudo pode acabar tão depressa. É incrível como o que para mim foi tudo, para tu significou tão pouco. Eu sei que sou só mais um rosto na multidão. Caminho por estas ruas às quais chamo casa com uma mala cheia de sonhos que nao consigo esquecer.

Alguém que significa TUDO, ensinou-me a manter a fé. Ele disse-me que eu não podia desistir de lutar por aquilo em que acredito. Disse-me que um tal de Jimmy Shoes partiu as pernas a tentar voar. Que da janela de um segundo andar ele simplesmente fechou os olhos e saltou. A mãe disse-lhe que estava louco e ele disse "Mãe eu tenho que tentar". Disse-me que tal como tinha acontecido comigo os heróis do Jimmy tinham morrido. E disse-me baixinho ao ouvido "Eu prefiro tentar, do que ser esquecido", tal como ele lhe tinha dito.

Aí eu entendi que não estava sozinha. E tal como o John, que era esse alguém que significa TUDO, me disse "Nenhum Homem é uma ilha".  Agora eu digo "Mantém a fé, e apesar de eu ser uma pequena fugitiva, obrigada por me amares!".

sábado, 27 de março de 2010


"Uma verdadeira e alucinante aventura, uma viciante paixão, um caminho para o céu, de cortar a respiração".
Foi assim que descreveste o nosso futuro. Juntos, lado a lado, sem ninguém para nos separar. Contigo no paraíso. Ao teu lado para sempre.
Sabes que és um grande amigo. Sem ti eu não sou ninguém. A minha vida já não é nada sem ti. És como uma bússola na minha vida. Indicaste-me o melhor caminho e estavas certo. Estás ao meu lado a todo o momento. Nunca me deixaste cair. E mesmo quando caí sozinha, tu estiveste lá e lutaste incansavelmente por mim, até que me "reconquistaste".
Nem sempre fui justa contigo. Talvez nem sempre tenha sido a melhor amiga e talvez nem sempre tenha estado ao teu lado. Agora eu mudei. Não mudei como seria de esperar. Agora eu conheço-me e entendo-me. Agora eu conheço-te e compreendo-te. E agora sim, eu posso amar-te.

Disseste que "a maior força consiste em reconhecer a própria fraqueza".
Eu tento ser forte, erguer a cabeça e seguir em frente. Nem sempre sou capaz. Às vezes eu caiu e não consigo andar. Sou fraca e não consigo lutar.
Ter-te ao meu lado parece não chegar. Eu não te sinto aqui.
Preciso de sentir-te ao meu lado. Saber que nunca me vais deixar. Sentir-te quando eu cair. Nos teus braços poder chorar. Nos teus lábios poder tocar. O teu coração sentir bater. Ao teu lado poder estar. E ao teu ouvido poder dizer "Eu AMO-TE".


Às vezes só damos valor às coisas quando as perdemos. Demoramos algum tempo a abrir os olhos e quando os abrimos é tarde demais.
Pensei já te ter esquecido. Pensei que ia ser fácil. Mas vou ser sincera, eu ainda penso em ti. Penso nos momentos que passamos juntos e tudo parece bom demais. Passo no sítio onde me roubaste o nosso primeiro beijo e não consigo tirar-te da cabeça. Ouço a nossa música e o meu coração bate fortemente, como se o tempo voltasse atrás. Vejo as nossas fotos e choro por ter sido tão estúpida ao ponto de te ter perdido.
Entreguei-me a ti como nunca antes o tinha feito. Fui tua por momentos e tu sabes que se quisesses seria para toda a eternidade. Sabes que eu nunca te esqueci e que ainda penso em ti como em tempos acontecia. Sabes que eu seria tua se tu voltasses. Sabes que eu estou aqui mas que também estou ao teu lado.
A vida é feita de oportunidades e nenhuma é desperdiçada. Mesmo quando nós não as aproveitamos, há sempre alguém que as aproveita por nós.
Eu deixei que tu fosses embora. Pois bem. Tu agora estás feliz e nada mais importa. Tudo o que eu mais quero é voltar a ver-te sorrir, como tu sorriste para mim.

O tempo passa a correr, e nada o faz parar. E mesmo que o tenhas em teu poder, ele corre sem parar.

Esta noite eu sonhei com um anjo que me levou até ao paraíso. Eu não sei quem ele é. Não sei de onde vem. Não sei o que quer.
Vinha com um coração nas mãos como quem pede perdão. Vinha com o arrependimento na cara como quem o olhar perdeu. Vinha com a cabeça baixa como quem está como eu. Eu ergui as mãos e deixei-me voar com ele. Eu levantei-lhe a cara para lhe olhar nos olhos, e neles vi um mar de lágrimas que ele tinha chorado. Com as mãos limpei-lhe a cara, como quem levanta quem caiu. Este anjo morreu. Morreu por amar. Agora vejo que o nosso amor é a nossa morte. E eu estou a por amas este anjo.

quinta-feira, 18 de março de 2010


Se algum dia deixares de me ver e de ter notícias minhas, não te preocupes. Procura-me só no cemitério mais próximo.
Eu estarei lá, esperando por ti.

quarta-feira, 17 de março de 2010


Agradecer o que tens feito por mim é pouco. Conheces-me há tão pouco tempo e já deste mais do que qualquer outra pessoa.

Muitos me julgaram mesmo não me conhecendo. No entanto, tu podias tê-lo feito e não o fizeste. Estiveste ao meu lado e em vez de me apontares o dedo, estendeste-me a tua mão. Ajudaste-me a levantar mesmo quando pensei não ser possível. Mostraste-me a luz onde eu pensei só existir escuridão. Ensinaste-me que o Sol ainda brilha para aqueles que acreditam. Mostraste-me a vida de um ângulo que eu nunca tinha visto. Fizeste com que te ouvisse e agora vejo que estavas certo. Mostraste-me que existe um Mundo paralelo ao meu onde estão as pessoas que me amam e que se preocupam comigo. Ensinaste-me que a vida não é de um dia só, e que se hoje está a chover, amanhã pode fazer Sol.

Contigo aprendi a lutar por aquilo em que acredito e a nunca desistir. Porque o que hoje não correu bem, amanhã pode ser melhor. E aquilo que eu ainda não conquistei, também não será conquistado se eu baixar os braços.

Agora eu sei sorrir e sei chorar. Sei apoiar e ser apoiada. E se existe a mentira, também tem que existir a verdade. Se existe a Lua, também existe o Sol. Se existes tu, também existo eu.

terça-feira, 16 de março de 2010


A faca que tens na mão corta a minha pele sem qualquer dificuldade. O meu sangue corre pelos meus braços como um rio que já traçou o seu caminho. Vermelho de paixão ele corre com a força de um mar, ansiando encontrar-te.

A tua faca encaixa agora perfeitamente na minha mão. Percorro com os meus dedos as tuas mãos. A coragem começa a faltar-me. As tuas mãos seguram as minhas. Eu não quero provocar-te qualquer tipo de dor. A tua mão agarra a minha e levemente faz com que a faca que eu tenho agora rasgue a pele da tua outra mão.

As minhas mãos ensanguentadas tremem como nunca antes tinha acontecido. O teu sangue escorre agora em todas as direcções.

Fechei os olhos. Não queria ver no teu rosto o sofrimento que outrora tinha visto. Fechei os olhos e larguei a faca que já não rasgava a tua pele.

Senti os teus lábios junto aos meus. Num toque, toda a confiança e certeza invadiram o meu corpo e a minha alma. Senti-te em mim como se de mim não passasses. Tudo se encaixava como as peças de um puzzle. Tu fazes parte de mim, assim como, eu faço parte de ti.

Juntamos as nossas mãos cobertas de sangue, e enquanto o meu sangue é quente como o fogo, o teu é frio como o gelo. O choque foi grande. Vejo que não fui a única a senti-lo. O teu corpo estremeceu ainda com mais intensidade do que o meu. Enquanto o meu sangue queima o meu corpo, o teu faz-me tremer.

As nossas mãos estão mais juntas do que nunca. Nada nos irá separar. Sinto o teu braço rodear a minha cintura e sinto-te cada vez mais próximo. O teu olhar podia matar se assim o desejasses.

Sinto-te mais próximo. Cada vez mais próximo. Sinto o meu peito alcansar o teu. Sinto-te em mim.

Nos teus lábios desenhou-se um  largo sorriso apesar das dores que o corte provocava. Sinto a minha mão arder mas nem isso me impede de sorrir, porque estou contigo e ao teu lado eu estou bem.

Os nossos lábios juntam-se num só. Não sei bem o que sinto neste momento. Sei apenas que tudo parou. Por momentos a dor desapareceu. O tempo parou. Apenas nós existiamos. Tudo à nossa volta parecia não fazer diferença. A dor voltou agora que me afastei de ti. Sei que viste isso nos meus olhos.

Agora agarras a minha mão e bebes o meu sangue. A dor torna-se mais leve. Cada vez se torna mais facil de suportar. É bom ter-te aqui. Limpas o meu corpo extraindo o veneno do meu coração.

Vejo a dor nos teus olhos e olho para a tua mão. Agarro-a com força e levo-a à boca. O teu sangue está ainda mais gelado do que antes. A minha garganta queima ao bebe-lo. O teu corpo descontrai um pouco mais, mas eu sinto a minha sede a aumentar. A minha sede pelo teu sangue parece nunca mais saciar.

Consigo libertar-me do teu corpo. Vejo que parte da tua dor desapareceu tal como aconteceu comigo. Vejo nos teus olhos um certo prazer. Vejo nos teus lábios um certo desejo.

O meu coração começa a bater forte. Não resisto à tentação dos teus lábios. Sinto o meu sangue na tua boca. Sinto o sabor do sangue nos teus lábios.

Sei que nunca nada nos irá separar. Sei que estaremos juntos para toda a eternidade. Agora sei que aconteça o que acontecer tu nunca me irás abandonar e que todas as juras de amor eterno serão cumpridas.


Apareceste na minha vida, como um anjo que cai do céu. Um anjo negro como a noite mas tão puro como a mais inocente das ciranças.

No teu coração não existe ódio. Nos teus lábios não existe o pecado. Nos teus sonhos não existe a consciência da morte. Apenas na tua mente ela está presente.

Quando acordas, a cada manhã, brilhante como o Sol, nada parece real. Existe apenas a morte e a destruição. O caos e nada mais.

Quando adormeces, a cada noite, negra como a realidade que enfrentas ao acordar, tudo parece belo demais. Não existe mais nada para além do Amor. Tudo é perfeito. Existimos apenas eu e tu. Nada mais. Apenas nós e o mais puro dos sentimentos.

Quando fechas os olhos, apenas eu, tu e o amor que nos une, para toda a eternidade.


Estás do meu lado. Fazes-me sorrir. Sinto-me bem. Não me deixas cair. Podes não ter estado sempre aqui, mas agora estás e eu estou feliz. 

Tenho vontade de sorrir e de viver sem medos. Sinto que estava errada. E agora vejo que apesar da "distância", talvez tenhas sido a única a estar ao meu lado. As pessoas que pensava que estavam comigo deixaram-me e não se importaram com o que eu pudesse estar a sentir.

Fui injusta? Talvez não. Apenas cega por ter vivido toda a vida com base em mentiras que eu não vi.

Agradeço tudo o que fizeste por mim e agora sei com quem posso contar. Estarás sempre no meu coração e podes contar SEMPRE comigo.

E sabes porquê? Porque eu estarei sempre lá por ti!

--> Amo-tee Xuxu'zinha da minha vida *-* <--


Eu não consigo entender. Como é que tudo muda assim? Eu não encontro respostas. Como é que as pessoas podem mudar de ideias do dia para a noite?

Pediste-me que te ajudasse e estivesse sempre contigo. Eu jurei-te amor eterno e pretendia cumpri-lo. Mas tu quiseste partir e eu não pude fazer nada. Por muito que te queira ajudar, já não há nada que eu possa fazer. Não posso ajudar quem não quer ser ajudado.

Sabes que estarei sempre aqui para tudo o que precisares. Escolheste outro caminho do qual não  faço parte, mas no entanto, e apesar de não saberes, eu estou aqui, para te amparar quando caíres.

quinta-feira, 11 de março de 2010


"Sabias que (?
-És importante para mim ;
-que eu sem ti , já num vivo ;
-que és tudo que eu algum dia podia ter ;
-que amigas como tu são .. Raras !
Obrigada por TUDO , ::
-por me ajudares , por estares comigo nos momentos em qe + preciso de ti .
-contei'te coisas, que nc contei há minha própria melhoramigaa !
A ti ::
-te ajudarei, ih estarei sp perto de ti , estou pronta para ::
te FODER a cabeça :b , e para PASSAR MOMENTOS QUE JAMAIS IRÃO SER ESQUECIDOS !
- miuda , tu és o meu PORTO DE ABRIGO , E EU AMO - TEE MESMO MUITO MINHA BÁRBARAA (L) ".
Por vezes acreditamos nas pessoas e elas acabam por nos desiludir. Mentem-nos, enganam-nos e fazem-nos cair. Caímos bem fundo e aí torna-se difícil conseguirmos levantar-nos. Fizeste juras de amor eterno mas foste a primeira a deixar-me. Juraste estar sempre ao meu lado mas há primeira oportunidade deixaste-me sozinha. Juraste segurar-me como eu te segurei mas quando precisei de ti, deixaste-me cair. O que devo pensar? O que devo fazer? O que devo dizer? Eu não sei. Sinto-me confusa.
Sinto que estou a sufocar no meu próprio ar. Sinto que estou a afogar-me no meu próprio sangue. Sinto que estou a afundar-me no mar de dor que eu provoquei.
Agora é tarde para voltar atrás. De que me serve o arrependimento? Nada voltará a aser o que era. Tudo se perderá no rio do esquecimento. Tudo se perderá...

Quando estou sozinha, olho para as páginas da minha vida e não controlo emoções. Eu choro, eu riu, eu berro e sussurro ao ouvido de alguém que sei estar presente mas que eu não consigo ver. Sei que tu estás comigo esteja eu onde estiver. Não sei quem tu és mas sinto-te aqui. Sinto quando estás triste e quando estás contente. Sinto a tua revlta e a tua compreensão. Sinto o teu coração bater dentro de mim.

Quando alguém te magoa, magoa-me a mim também. Quando alguém te faz cair, eu caiu contigo. Porque eu sou tudo o que tu és e isso nunca irá mudar.

O risco das palavras é que nem sempre dizem o que queremos dizer. Nem sempre são claras e por vezes fazem com que sejamos mal-interpretados.

O risco das palavras é que por vezes saiem sem pensarmos nelas primeiro. Por vezes parece que têm vontade própria e mesmo quando as tentamos prender, elas rasgam-nos a garganta sem dó nem piedade.

O risco das palavras é que não são verdadeiras. Estão demasiado banalizadas. As palavras são vazias. Já não querem dizer nada.

Se as minhas palavras conseguissem mostrar a minha alma, tu calarias a minha boca para não chorares comigo quando me ouvisses falar.

terça-feira, 9 de março de 2010


Confiei cegamente

O que mais posso fazer?

Nada te fará voltar

Faça eu o que fizer

Irá tudo ser igual

A mim só me resta

Reviver de memórias

Cometemos erros. Pedir desculpa parece não chegar. Daria tudo para o tempo voltar atrás, mas ele não volta. Sei que cometi muitos erros. Disse muita coisa que não devia e fui injusta. Eu sei. Estou a tentar corrigir os meus erros. Gostava que as coisas voltassem a ser o que eram. Disseste-me uma vez que não pedias que te entendesse, mas pediste que confiasse. Eu confiei. Confiei, mas agora preciso de entender. Será que errei assim tanto que não mereço o teu perdão? Eu não sei. Só sei que para entender alguém, tenho que começar por me entender a mim. E só agora é que consegui faze-lo.

quarta-feira, 3 de março de 2010


Quando é que isto vai acabar? O tempo passa e tu não voltas.  A vida corre e tu não ficas. Tudo se resume a uma vida sem ti. Tudo se resume a sonhos esquecidos. Tudo se resume á sobrevivência temida. Aquilo que eu mais temia, acabou por acontecer. Aquilo que eu mais queria, acabou por se perder. Aquilo com que eu sonhava... Bem, isso... Acabou por desaparecer ao acordar!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010


Quando olhava para o espelho via o teu rosto. Quando olhava para o fundo daquele reflexo via o teu coração. Agora olho para o espelho e não vejo nada. Tudo é negro. Eu já não sei onde estás. Mas eu ainda acredito em ti. Eu desistiria de tudo para te encontrar. Eu preciso de ti ao meu lado. Sem ti eu não vivo. Eu não respiro. És tu quem comanda a minha vida. Como é que esqueceste tudo o que eu sei? Como é que que esqueceste tudo aquilo que nós tinhamos? Tu viste-me chorar pelo teu amor e parecias querer estender-me a tua mão. Será que tu ainda me amas?

Trancaste o meu coração e guardaste a chave. Partiste para longe. Partiste para longe demais. Ninguém te alcança. Muitos já tentaram recuperar a chave que tu guardas mas ainda ninguém conseguiu. Sinto-me sozinha. Ninguém entra em mim. Tu deixaste-me vazia e não deixas que ninguém me complete. Já tentei encontrar uma saida. Uma maneira de abrir este cubo de gelo que muitos pensam ser eu. Nada adiantou.

Agora corro em busca de liberdade. Procuro a tão desejada liberdade de ser feliz. Quero estar com aquele que até hoje esteve ao meu lado e me aceitou como eu sou. Quero-te a ti, meu irmão, de volta e aquele que depois de ti me conseguiu fazer sorrir. Eu quero ser livre.